Como emagrecer com a Dieta Mediterrânea:

Share Button


Que dieta é essa e qual a diferença dessa dieta para as outras

Nos últimos anos, temos ouvido falar numa dieta que é muito usada pelo povo  Europeu, especialmente na Grécia, na famosa ilha de Creta: A dieta Mediterrânea! Que dieta é essa e qual a diferença dessa dieta para as outras? Fala-se que o povo que vive nessa ilha tem vida bem longa e saudável e têm menor incidência de doenças crônicas, como o infarto, quando comparados com outras partes do mundo. Isso não é muito interessante?

 Conheceremos agora essa maravilha de dieta e todo o seu diferencial.

Todos sabem que nem todas as dietas que aparecem  são saudáveis, e muitas delas são até certo ponto irresponsável. No entanto, algumas podem  ajudar muito no processo de emagrecimento, contribuindo, inclusive, com a nossa saúde. Talvez o maior exemplo disso seja a  Dieta Mediterrânea:

Como emagrecer com a dieta Mediterrânea:

É muito simples A dieta mediterrânea, não é apenas uma dieta comum, ela na verdade é uma mudança nos hábitos alimentares. Sua composição é constituída de alimentos saudáveis que a natureza nos disponibiliza regada a muito azeite virgem. Essa dieta conquistou vários adeptos pelo mundo inteiro por ter como base a cultura e os hábitos alimentares das populações que vivem nas regiões banhadas pelo mar mediterrâneo (países do sul da Europa, norte da África e sudoeste da Ásia).

De que alimentos consistem a dieta mediterrânea:

  • Peixes diversos;
  • Azeite;
  • Leguminosas (como lentilha, grão de bico, feijão e soja);
  • Frutas, legumes e verduras variados;
  • Oleaginosas (nozes e amêndoas).

“O Mar Mediterrâneo banha a costa de países pertencentes a três continentes: Europa (Itália, Grécia, Albânia, Espanha, França e Iugoslávia); Ásia (Síria, Líbano, Israel e Turquia); e África (Argélia, Marrocos, Egito, Líbia e Tunísia).  Alimentos provenientes do mar e de um solo e clima favorável fizeram com que os  hábitos alimentares desses povos tivessem influências culturais comuns ao longo dos séculos.” Diz a história…

A dieta mediterrânea Caracteriza-se pelo abundante consumo de pães (de preferência os integrais), massas (de grão duro), legumes, verduras, frutas (frescas e secas), oleaginosas (amêndoas, nozes, avelãs) e azeite de oliva; consumo bem moderado de carnes brancas, peixes (ricos em ômega 3), laticínios e ovos; consumo reduzido de carnes vermelhas, doces e vinho, normalmente presente nas refeições principais. Esta dieta é pobre em ácidos graxos saturados, rica em carboidratos e fibra, e tem alto conteúdo de ácidos graxos monoinsaturados derivados do azeite de oliva.

O que diferencia a dieta mediterrânea das outras dietas?

Está no baixo consumo de gorduras saturadas (de origem animal) e doces, que contêm muita gordura ou açúcar refinado. É rica em carboidratos integrais, os quais contêm alto teor de fibras, e em ácidos graxos monoinsaturados, encontrados no azeite de oliva. O consumo de alimentos vegetais, processados ou refinados, garante o alto teor de vitaminas, minerais e fitoquímicos que garantem a saúde do corpo. Tais elementos atuam como antioxidantes no nosso organismo. Os antioxidantes são substâncias que retardam e previnem o envelhecimento celular. Os altos teores das fibras encontrados na dieta mediterrânea garantem um ótimo funcionamento intestinal e reduzindo assim  os níveis de colesterol.

As vantagens são grandes e entre elas está a principal, que é proteger o coração contra infartos, diminuir o risco de câncer, defender a pele contra agressões dos raios solares, retardar os danos ao cérebro causados pelo envelhecimento das células. Esses benefícios à saúde são oferecidos pela Dieta Mediterrânea em geral, e em especial pelo azeite de oliva,.

Share Button


Deixem seus comentários!

 

Copyright ©2013. All Rights Reserved.